Sábado, 31 de Janeiro de 2009

Da Máquina do Tempo

A minha Pipas deu-me este presente de aniversário. Quase chorei.

 

(da esquerda para a direita e de cima para baixo e se as contas não me falham o que a esta hora é difícil...)

Foto 1-Tio Toi (já falecido), João com 3 anos (hoje 34 anos), Mãe com 24 anos (hoje na casa dos 50), Eu mesma  com cerca de 6 meses (hoje com 31 fresquinhos), Pai com 25 anos (hoje na casa dos 50), Avó Mariana com 62 (hoje prestes a fazer 93), Filipe com 5 anos (hoje com 35) e tia Mariana com vinte e muitos (hoje na casa dos 50 e muitos). O Tio Quim devia estar atrás da máquina, pois claro, e a Pipas... quando muito estava planeada para 2 anos mais tarde...

 

Foto 2- Eu com 3 anos ao colo da minha mãe

 

Foto 3- Cristina, Célia, Pipas ao colo, Filipe, Ana Maria, Luis.

Em baixo Eu, Antonino e João. Julgo ser na festa de baptismo da Pipas.

 

Foto 4- Eu sentadinha na cama do Filipe com 3 anos (?)

 

Foto 5- Eu (já aos 10 anos) e a Pipas (com 7 anos, quase 8) em Coimbra no Portugal dos Pequenitos. Fomos um fim-de-semana à Serra da Estrela, ver neve pela primeira vez. Foi lindo. Passámos todo o caminho a aborrecer o Filipe ao exigirmos que as nossas cassetes (o que é isso???) dos Onda-Choc e dos Ministars passassem no auto-rádio. O Filipe andava numa de Bros (lembram-se??) e desesperava com as duas chatarronas a trautearem em altos berros as letras da Ana Faria adaptadas para os hits da altura :)

 

OBRIGADA PRIMA!

E já que isto é um blogue de bébés, parabéns ao Miguel que hoje também é bébé :)

 

 

sinto-me: Nostálgica
tags:

Apercebemo-nos que está quase...

...quando a um Sábado acordamos às 7:30h e não temos vontade de dormir mais.

(ou então já estamos a treinar para os novos horários)

sinto-me: com insónias...
Sexta-feira, 30 de Janeiro de 2009

(faltam) 3 semanas

Hoje foi um dia importante para nós:

-completámos 37 semanas;

-atingimos uma gravidez de termo;

-a (ainda) 2 em 1 comemora mais um aniversário;

 

Desta vez a contagem decrescente perde o sentido porque apesar de existir uma data prevista para o parto, o mesmo pode iniciar-se a qualquer instante. Vivemos numa incógnita e temos tudo a postos, não vá o diab...o Eduardo tecê-las.

 

Às 37 semanas, se nascer, não será um bébé pré-termo mas um bébé de termo, tempinho normal, tamanhinho normal, tudo normal como é desejável nesta fase. Não deixa de representar uma vitória apesar de ter vivido uma gravidez tranquila. Com incómodos e aqueles sustos normais, mas tranquila, perto de muitas sobre as quais ouvimos contar por aqui e alí.

 

Por isso, posso afirmar que atingir este dia de um modo calmo e saudável foi o melhor presente de aniversário que poderia ter.

Além deste, recebi:

-uma máquina de café Nespresso;

-algumas contas Pandora;

 

Nota-se que os anos passam... acho que, apesar de bons, foi o ano em que recebi menos presentes de aniversário. Sei que ainda hão-de chegar alguns, mas é óbvio que futuramente o número irá decrescer e será o meu filho quem recebe montanhas de presentes, aliás... no Natal já assim foi.  E eu aceito pacificamente essa condição.

 

Tirámos uma foto, os três, não vá ser tarde... :)

 

sinto-me: a ficar velha

Dia de cão (da consulta)-os desabafos

Podem imaginar pior que acordar de manhã, antes de uma consulta de obstetrícia, e constatarem que não têm uma pinga de água nem na torneira nem em qualquer lugar da casa excepto no depósito da máquina de café? Não? Então imaginem que não acordaram porque pura e simplesmente nem chegaram a adormecer...

 

Foi assim que começou o meu dia. Pus o F fora de casa, a caminho do PIngo Doce, para comprar dois garrafões de água que me iriam salvar da humilhação total: ser observada sem quaisquer vestígios de higiene matinal. Toca de colocar a chaleira ao lume e encher bidé e lavatório para um "banho" digno de um gato.

 

Um tempo nojento, uma dor de cabeça a começar (nos últimos dias tem sido uma visita diária) e algum trânsito depois, eis que chegamos ao hospital.

Consulta na enfermeira, medidas da barrigona, batimento cardíaco fetal, peso, rastreio de infecções urinárias, tudo ok. Mede-se a tensão, não agrada... e porque não continuar a medir até obter valores aceitáveis? (é algo que fazem por sistema e que ultrapassa a minha compreensão).

Levámos um ralhete porque eu tinha marcado um ctg e não chegámos uma hora antes da consulta (teríamos chegado se nos tivessem avisado disso, mas mais uma vez o excelente serviço administrativo do hospital a mostrar-se no seu melhor...).

Aproveitando que um tal Dr. F. resolveu "meter uma cunha" e enfiar uma paciente dele no gabinete do meu médico na MINHA hora de consulta (assim mesmo à descarada), lá fomos para o ctg. Pronto, admito, não reclamei e só me consegui rir, mas porque a mim me convinha (embora não admita qualquer culpa no cartório), porque senão lá tinha de, mais uma vez, demonstrar o meu mau feitio.

Depois da valente seca que é ter a barrigona ligada àquelas coisas, de estar mais de meia hora a ouvir o coração do meu filho a galope e de constatarem que tenho imensas contracções (que nem eu notei na grande maioria das vezes), descemos, enfim, para a esperada consulta.

 

O médico é o fixe de sempre. Viu o ctg, mencionou as contracções sem grande interesse (parece que isoladamente não interessa muito se as temos ou não), perguntou-me como andava, se tinha dores nas contracções, se tinha saído o rolhão, se sentia bastante o bébé e tentou aceder às minhas análises sem qualquer resultado. Ligou para o laboratório onde lhe garantiram que em 10 minutos estariam disponíveis.

Passámos então à cadeira dos horrores, desta vez ainda sem horror, dado que só espreitou o bebeca cá do lado de fora: assim que apareceu no ecrã, o petiz deitou a língua de fora para grande deleite do papá. Eu, que carrego aqui com ele, já só vi a boca aberta e os movimentos de sucção (deixa.. depois acertamos contas).

O dr. diz que está tudo ok, placenta anterior, líquido perfeito, cordão espiralado (parece que é bom porque corre menos riscos de entrar em sofrimento fetal), que aparentemente o nosso bébé é óptimo.

 

Voltamos então à secretária para ver se já há acesso às análises. Há. É surpreendente (o F já se estava a preparar para ir ao 1º piso levantá-las pessoalmente).

Tava tudo ok (incluindo os exsudados horrorosos), havendo apenas lá uns asteriscos que isoladamente não significam nada, mas associados à hipertensão podem estar ligados a uma pré-eclâmpsia.

Fica-nos a dúvida se o nossp Oregon está, ou não, bem calibrado. O médico acha que não, eu acho que sim porque eu meço e está alta, o F mede e está óptima. E até ao Natal a minha também estava óptima, começando por essa altura a descambar.

 

NÃO ENTENDEM O MEU PÂNICO?

Toda a minha família materna é hipertensa e estou farta de ver o número da prole a diminuir devido a AVC's. Não me interessa se enfermeiras e médicos desvalorizam a situação, tenho mesmo medo e pronto!

O dr. diz que se de facto eu tiver hipertensão se deve à gravidez e não a factores hereditários (porque surgiu apenas agora) e, pelo sim pelo não, vai lá fazer agora estas análises.

Segunda mando-lhe um lembrete via sms para que vá ver o resultado ao sistema (se conseguir, hehehe) para percebermos se existe proteinúria e pré-eclâmpsia. Se estiver tudo ok, 5ª feira há mais... se não a estratégia muda,

 

Laboratório aqui vamos nós, colheita feita e...

...esgotámos o plafond do capital seguro pela Multicare. Levámos com a totalidade da factura como presente de aniversário adiantado. Significa ainda que, até ao parto, tudo o que fizer ali será pago integralmente pela minha pessoa (melhor dizendo, pela minha família).

Mais uma vez sinto-me enganada pela seguradora, mas já estive a ver e vamos é aumentar os capitais seguros (só que desta vez quero todas as condições por escrito), porque é muito fácil um bébé consumir-nos o plafond todo em menos de um ano, já para não falar de uma segunda gravidez (calma... é que temos também de estar atentos ao período de carência, certo?).

 

Por esta altura a minha dor de cabeça rondava níveis de levar qualquer um à insanidade e confesso, pelas 8 da noite vi-me mesmo obrigada a tomar algo que não era suposto.

 

O que vale é que, como diz o enfermeiro do ctg, nestas condições está aqui está cá fora!

 

Desculpem lá a seca, mas precisava de desabafar...

sinto-me: cão vadio em dia de chuva
Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009

Passo a passo

Ontem o F esteve de folga e resolvemos passar uma "tarde desportiva" no conforto da nossa casinha. Precisamos ambos de descansar, eu não aguento muito tempo fora de casa e ele tem de criar uma reserva energética para o que aí vem...

 

Ele à secretária, em frente ao computador e eu esparramada na cadeira de baloiço, em frente ao material, deitei mãos à obra para decorar o abajur para o candeeiro de pé do quarto do parasita residente.

 

Como da outra vez recebi algumas mensagens a perguntar como tinha feito, desta vez fotografei passo a passo. 

 

1. Material necessário:

-abajur (feito de qualquer material)

-tecido ou papel a gosto

-tesoura

-pincel grosso

-cola verniz UHU (esta é específica para découpage. Cola branca de madeira também dá mas esta é mais fácil de utilizar embora bem mais cara)

 

 

2. Recortes:

-recortar do tecido ou papel, pelos contornos, as figuras que desejarmos incorporar no abajur.

 

 

3. Aplicação da 1ª camada de cola

-com o pincel generosamente embebido na cola verniz, damos uma passagem no abajur, no local onde vamos aplicar a figura.

 

 

4. Aplicação da figura

Aplicamos a figura por cima da zona onde já colocámos cola, esticando-a bem (se for uma figura em papel é necessário algum cuidado nesta fase, pois o papel pode rasgar-se devido à humidade da cola).

 

 

5. Aplicação da 2ª camada de cola

Novamente com o pincel embebido em cola, passamos por cima da figura aplicada, com movimentos do centro da figura para o exterior, de modo a esticá-la melhor para não formar pregas de ar. Ter o cuidado de verificar se as extermidades da figura aderiram bem ao abajur, pois se ficarem com pontas levantadas podem ser arrancadas pelas "mãozinhas papudas" dos inquilinos do quarto.

 

 

6. Resultado:

-Depois de aplicarmos todas as figuras que desejamos, é só deixar secar e ver o resultado com luz por dentro :)

 

 

Espero que tanto vocês como o meu filho gostem

 

 

sinto-me: prendada
tags:
Sábado, 24 de Janeiro de 2009

(faltam) 4 semanas

Para comemorar as 36 semanas, o Eduardo resolveu começar os festejos de véspera. Há 2 dias que não consigo fazer nada de jeito, mas agora à noite lá me deu algum descanso, as contracções acalmaram um pouco e então deitei as unhas a umas coisas que estavam por arrumar no quarto dele.

Está quase, quase...

Resolvemos que a outra parede será pintada após o nascimento dele, pois não aguento em pé e parada no mesmo sítio durante muito tempo. Começo a sentir que vou desmaiar, a começar a  ver tudo mais escuro e a ouvir zumbidos na cabeça. Depois é uma chatice para regularizar a situação, por isso... só uma das paredes tem bonecada.

 

 

Gostam?

 

 

 

Pronto, ainda falta a cama de grades que vai ficar onde está aquele berço (que vai para o nosso quarto). E é nessa parede que falta pintar os bonequinhos.

 

Ainda vou fazer mais um abajur como o do tecto, para um candeeiro de pé, pois além daquele não há mais pontos de iluminação artificial no quarto. Vou também pintar umas aguarelas com os mesmos bonecos para colocar numas molduras que tenho ali e que cabem no pilar entre as duas janelas.

Ah! Também falta o tapete que tem estado esgotado...

 

Por enquanto será assim, para lhe dar muito espaço para brincar...

 

Relativamente ao prazo...

Estou far-ti-nha. Quero é que ele nasça mas já agora dava jeito esperar mais uma semanita e fazer uma gravidez de termo. Ontem (à semelhança de outras vezes) acreditava piamente que ele estava mesmo aí "a rebentar" e fiquei furiosa comigo própria por não ter a mala feita. Mantive o sentimento durante o dia de hoje e até andei a juntar uns tarecos... mas agora à noite sinto-me melhor e já acredito que não está para breve.

O médico costuma dizer-me "não acredita que chega até à DPP ou isso é só a vontade de o ter cá fora que a faz pensar assim?"

Pois dr... não sei. Talvez um bocadinho das duas coisas.

 

A minha barriga não está muito grande (não me tenho pesado), o controle da tensão arterial tem sido feito 2 vezes por semana e não está grande coisa mas também não está nenhum descalabro, tenho muita azia, sobretudo à noite e o meu filho mexe-se que nem um maluco.

 

E é assim que estamos às 36 semanas...

 

sinto-me: cansada
Quinta-feira, 22 de Janeiro de 2009

Dicas do nosso pediatra

Lembrei-me de deixar aqui algumas sugestões/instruções que o pediatra nos deu na consulta pré-natal. Julgo que possa ser útil para algumas grávidas do primeiro filho porque se eu, que até estou habituada a tratar de bébés (embora não sejam recém-nascidos) tenho mais que muitas dúvidas, imagino aquelas pré-mamãs cujo contacto com bébés se tem limitado aos sorrisos que lhes lançamos quando vimos uma coisinha ternurenta dentro dum ovinho ou ao colo.

Assim, reforçando que até gostei do médico (mais um de espírito pragmático à semelhança do obstetra), que manda umas piadas giras e que é afável, deixo-vos ao corrente:

 

1. Na maternidade

-os enfermeiros ajudam em tudo o que for preciso, não há que preocupar.

-cuidado com o excesso de roupa nos bébés porque o ambiente da maternidade e pediatria é sempre bastante quente. A temperatura do bébé não se avalia nas extermidades (que estão sempre frias), mas no tronco. Pode usar um gorrinho de algodão.

-cortar-lhe as unhas (não é preciso limar) porque "eles são brutos" e arranham-se todos.

-quem chega para visitar não deve estar constipado. Se estiver, terá de usar uma máscara porque:

-no primeiro mês de vida os bébés ainda não têm o sistema imunitário fortalecido e qualquer doença que apanhem não tem visibilidade, manifestando-se apenas através de febre e:
-um recém-nascido (durante o primeiro mês) não tem autorização para ter febre. Se tiver, terá de ser internado e:

-considera-se febre quando medida no rabiosque com um termómetro digital de ponta mole (nada de termómetros frontais por infravermelhos e auriculares também não são aconselhados por não ser fácil utilizá-los em bébés pequenos) atinge um valor superior a 38º.

-tanto na maternidade como em casa (durante o primeiro mês), quem vier da rua deve lavar bem as mãos (basta água e sabão).

-na maternidade leva 2 doses de vacinas (bcg, que à nascença dispensa o teste de mantoux e outra que não me recordo mas julgo que era da hepatite).

-quanto à alimentação, na maternidade está tudo garantido, seja leite materno (se for preciso aconselham-nos e ajudam-nos), seja leite artificial, sejam os dois em conjunto.

-se queremos amamentar, não fornecer chupetas ao bébé antes que ele pegue bem na mama.

 

(no hospital onde o Eduardo vai nascer, os bébés são colocados a mamar assim que possível, geralmente na primeira meia hora/hora de vida, pois é quando o reflexo da sucção está mais activo)

 

2. Em casa

-a temperatura ambiente que estiver boa para nós, está boa para o bébé. Ele sente-se confortável com uma cobertura de roupa a mais que a que nós estamos a usar.

-não há porque usar humificadores/desumidificadores a menos que a criança tenha graves problemas respiratórios. E antes que isso se note, concerteza terá outras consultas onde seremos aconselhados.

-mais uma vez.... quem estiver constipado não deve tratar do bébé durante o seu primeiro mês. Se forem os pais/avós devem usar uma máscara

-O "teste do pézinho" é realizado entre o 3º e o 6º dia de vida. Por vezes é feito na maternidade em alternativa ao Centro de Saúde (segundo percebi nem sempre existe disponibilidade nos centros de saúde para o realizar na data necessária ou pretendida).

 

3. Os cuidados de higiene

-Não aconselha um banho completo enquanto o coto do cordão umbilical não cair. Prefere que o lavemos "à gato".

-Se quisermos, podemos depois dar-lhe banho todos os dias, mas não existe qualquer problema em dar-lhe o banho apenas dia sim, dia não.

-O cordão deve ser desinfectado com compressas esterilizadas e álcool etílico a 70º

-Só colocar creme no rabiosque quando se começar a notar algum início de assadura. Preferir as pastas de água (Eryplast, Halibut ou 1ére change de Uriage). O Bepanthene tem outro tipo de funções.

-Totalmente de acordo que se guardem os toalhetes humedecidos para usar na rua (pessoalmente eu recomendo os huggies porque são à base de água, enquanto as outras marcas, incluindo dodot têm outros produtos adicionados e são mais agressivos), portanto:

-em casa lava-se a zona genital com algodão e água morna ou 1ere eau de Uriage.

-podemos usar o creme hidratante que comprámos: 1ere lait de uriage.

-podemos usar o créme lavante de uriage para o banho (serve de shampoo e sabonete)

-a água do banho deve estar tépida (entre 35 a 37º)

-depois do banho ter o cuidado de limpar bem as preguinhas da pele, orelhas e atrás das orelhas (parece que a zona das orelhas é um depósito de "lixo"). Usar algodão ou cotonetes.

-Não introduzir nada nos ouvidos do bébé (nem os cotonetes "de segurança")

-quando se coloca soro fisiológico nos olhos, colocar da extermidade de fora para dentro (posicionando o bébé de lado de modo que o líquido escorra de fora para dentro), pois é esse o sentido das lágrimas naturais.

-Não usar o mesmo algodão/compressa de um olho para o outro.

-para colocar soro fisiológico no nariz, posicionar o bébé de lado e colocar na narina que está virada para cima, para que o líquido entre por essa e saia pela outra. Repetir ao contrário.

 

4. para dormir:

-deitar o bébé de barriga para cima (ele roda naturalmente a cabeça para um dos lados como defesa natural contra o refluxo que em princípio assim escorre para fora da boca)

-podemos, se o desejarmos, inclinar ligeiramente a cabeceira da cama (de modo que o bébé não escorregue pela cama abaixo, ficando totalmente debaixo das cobertas).

-não cobrir a cabeça do bébé com fraldas de pano, lençol, brinquedos ou o que quer que seja;

-Não usar edredons.

 

5. a paparoca:

-dar mama é o melhor.

-pode ser necessário um suplemento até à subida do leite e se não for ainda na maternidade, deve:

-comprar-se qualquer leite para recém-nascidos, tipo 1, no supermercado ou farmácia.

-a dose a preparar é de uma medida (que vem na lata) rasa (nada de comprimir o pó ou deitar com "cagulo"), para 30ml de água.

-sabemos se é necessário quando o bébé chora com fome em intervalos máximos de hora e meia.

-bébés pequeninos não devem estar mais de 5 horas sem comer porque pode baixar-lhes os níveis de açúcar no sangue. Nesse caso ficarão mais prostrados e adormecem, porque o cérebro entra em "stand-by" para poupar energia, por isso:

-se estiver a dormir há 5 horas, acorda-se suavemente (muda-se-lhe a fralda, mexe-se nos pezinhos, ...)

 

6. numa emergência

-se o bébé estiver a mamar, ou após a mama, e parar de respirar (porque o leite foi para onde não devia), pega-se nele de barriga para baixo (com a nossa mão "forte" no peito dele), inclina-se ligeiramente de modo que a cabecinha fique mais baixa que o corpo (para a força da gravidade ajudar) e dá-se umas palmadinhas nas costas com a mão em forma de concha (é o modo como magoa menos).

-se na altura se atrapalharem e não conseguirem pegar assim no bébé, podem pegar-lhe "à coelho", pelas perninhas. Faz impressão mas é mais fácil numa altura em que os segundos são importantes.

-a ideia é que ele expulse o leite/secreções que o estão a impedir de respirar.

 

7. as cólicas

-se o bébé estiver desconfortável por causa das cólicas, faz-se uma massagem na barriguinha, sempre no sentido dos ponteiros do relógio (o sentido natural do trânsito intestinal).

-pode colocar-se numa posição mais confortável para dele, deitando-o de barriga para baixo (podemos usar as nossas pernas como colchão). Sempre na nossa presença.

-remédio que funciona 100% (diz o médico), dar um passeiozinho de carro.

-podemos usar e abusar do bébégel. Não tem contra-indicações nem causa dependência.

-por vezes basta usar a cânula da embalagem: introduz-se no rabinho suavemente, o bébé larga um festival de foguetes e pode ser o suficiente para se sentir aliviado.

 

8. Os passeios

-não quer saber que o bébé andou metido no centro comercial (esse antro de ar viciado e porcarias)

-podemos dar breves passeios com o bébé no parque ou na rua, desde que vá bem agasalhadinho.

-obviamente podemos visitar familiares

-podemos usar um marsúpio assim que ele segurar a cabecinha

 

Bom... isto são as recomendações do nosso pediatra. Como sabemos, variam consoante os médicos portanto para mim estas são válidas. Deixo-vos o testamento apenas como "pequeno guia", pois muitas pessoas não fazem esta consulta pré-natal e pode ser útil até que façam a primeira consulta com o vosso bébé. Claro que a partir daí têm as recomendações do pediatra que escolheram... ;)

sinto-me: muita estudiosa do assunto
Quarta-feira, 21 de Janeiro de 2009

O Pai Natal e outras actualizações

Parece que afinal existe... chegou ontem (finalmente), o primeiro cheque da Segurança Social referente ao subsídio pré-natal. E com retroactivos e tudo!

 

A carta surgiu para grande deleite do F (que em tantos anos de descontos pela primeira vez recebe alguma coisa "deles"). Só que não há bela sem senão e nem o que recebeu veio em nome dele...

 

Também recebemos 70 euros em cheques compra para (quase) todo o Colombo. Poderia dizer que foi cortesia da Repsol, mas na verdade limitámo-nos a usar os (imensos) pontos acumulados no cartão de fidelização. Sempre é mais simpático comprar coisas que precisamos que escolher uma caixa de chávenas do catálogo... (sim, eu sei, estou traumatizada com as chávenas...).

 

A Susel lançou-nos um desafio. Não vou passar a bola porque nestas coisas de desejos, todos os temos e com tdo o direito! Sintam-se brindados como eu.

Os meus 8 desejos... tenho medo que não se realizem se os divulgar, mas por esta altura presumo que adivinham parte deles, não?

Posso ainda dizer que não os gastei todos comigo e que vocês, companheiras de luta, seja na barrigudice, na maternidade ou ainda nas tentativas, foram contempladas com os meus pensamentos positivos.

 

Por fim, hoje fomos fazer análises. Creio que foram as últimas e contemplaram também umas coisas menos agradáveis com o nome pomposo de "exsudado" (vulgo esfregaço) em zonas menos expostas do meu corpo. Dizem que para prevenir eventuais contágios de doenças maléficas ao meu filho na altura do parto. Se acusar alguma coisa esquisita, tenho de tomar antibiótico antes da horinha (reparem que digo "horinha" ;))

 

Aproveito para deixar os parabéns à analista que me confessou estar grávida. É muito amorosa e julgo que está muito feliz apesar de ter notado alguma apreensão, pois apenas descobriu agora quando se preparava para colocar "o aparelho". Pois é querida... quem anda à chuva molha-se, mas ainda bem, que crianças é que fazem falta neste país envelhecido. Vamos lá dar a volta à taxa de natalidade da nação!!

sinto-me: bastante bem
Terça-feira, 20 de Janeiro de 2009

Dos signos

Não sou totalmente crente nestas coisas da Astrologia. Bom, na verdade as previsões não me dizem nada, mas quanto às características de cada signo, não posso negar que noto um certo padrão comportamental e de personalidade nas pessoas que conheço com o mesmo signo. Talvez por isso, e depois de analisar quais os signos que aparentam uma maior compatibilidade com o meu feitiozinho nojento, fiquei muito feliz por ver que o Eduardo tem uma grande probabilidade de nascer Aquário, como a mãezinha dele.

 

Hoje acaba-se o prazo dos Capricórnios. Dado que são quase 10 da noite, a probabilidade de ele vir ao mundo como nativo deste signo é ínfima. Mas não me importava. Reconheço-lhes muitas características que me agradam como a disciplina, organização, ambição, pragmatismo. São pessoas simples e de fácil convivência, bons conversadores e bons companheiros.

 

Amanhã iniciam-se os dias de Aquário. Quero acreditar que é neste intervalo que o meu filho nascerá. Esses dias terminam a 18 de Fevereiro, a nossa DPP. Bem sei que depois desse dia, ainda tem umas duas semanas até que a estadia do parasita se torne problemática aqui no T0. Escusado seria dizer porque gostaria que ele nascesse aquariozito, mas vou dizer na mesma que o espírito livre, extravagante, altruísta, aéreo e sensível me agrada muito.

 

Se o rapaz resolve atrasar-se, aí é que a coisa toca de outra maneira. Nasce Peixes, demasiado compreensivo, demasiado acomodado, demasiado susceptível. Não... não me agrada. Mesmo. O meu pai (que eu amo incondicionalmente) é Peixes e sei bem o que a casa gasta. Por vezes é muito difícil fazê-lo pensar racionalmente e com clareza porque ele prefere pensar com o coração. Fica frequentemente com a cabeça quente perante situações que nem sequer lhe dizem respeito...

 

Portanto vamos lá aqui fazer uma forcinha de pensamentos para que o miúdo faça a vontade à mãe... :)

sinto-me: com fé
tags:
Domingo, 18 de Janeiro de 2009

Reparo agora...

...que hoje é dia 18 de Janeiro.

A minha DPP é 18 de Fevereiro.

 

Glup!

sinto-me: com medo e pequenina...
tags:

.Sobre mim

.No messenger

O meu MSN
sufiland@sapo.pt

.pescar nas águas

 

.Novembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.recentemente

. Arreeee!!!!!

. O prometido é devido

. Um novo sonho

. Interregno

. Francisco

. Obrigada...

. Parabéns Filho!!!

. 12 meses em 13 imagens

. Será?

. Está grande...

.águas passadas...

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Junho 2011

. Agosto 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.gostamos muito :)

. Ser mãe pela primeira vez...

. O enxoval (reeditado a 3 ...

.Outras águas

blogs SAPO

.subscrever feeds