Sexta-feira, 6 de Fevereiro de 2009

Mais uma consulta

Lá fomos... munidos de paciência para as esperas que nos aguardavam no hospital.

Marcávamos sempre consulta para as 9 da manhã: éramos os primeiros, despachávamos rápido... mas nos últimos tempos tornou-se impossível porque a proximidade entre consultas (de uma semana para a outra) faz com que tenhamos de ficar com os buracos na agenda do médico.

 

A enfermeira conduziu-nos ao ctg e eu rezava para que ela não fosse ver o meu livrinho verde. A semana passada deu-me um valente sermão por causa dos nossos horários e por não estar a apontar os movimentos do crianço, mas a verdade é que não percebo nada daquele gráfico manhoso onde "não bate a bota com a perdigota" e não me faz grande sentido: percebo perfeitamente se ele está a mexer-se de forma normal ou não, sem ser preciso contar o que quer que seja.

 

No caminho perguntou-me se levava as malas no carro e perante o meu olhar incrédulo, justificou-se "pois, imagine que sai daqui e vai às compras e ele quer nascer... olhe que agora pode ser a qualquer altura!!"

Sinceramente... aquelas enfermeiras stressam-me. Até parece que a criança nasce assim tão rápido (e que eu nem moro a 10 minutos do hospital nem nada...).

 

Liga-me os fios, vai dar uma curva e ali ficamos: pai e mãe (mais o filho), a dizer baboseiras, a rir, a troçar de tudo e todos (incluindo nós próprios, é o que vale) e a minha confiança no expoente máximo de quem tem a certeza que ainda falta bastante tempo. Até nos rimos porque percebemos que se ele nascesse de amanhã a uma semana, calharia a uma sexta-feira 13. Uma bela combinação de dias para se vir ao mundo.

Nisto o alarme do ctg apita. Começo a stressar e a não achar gracinha nenhuma, porque no ecrã o F lê algo parecido com "ritmo cardíaco fetal no limite máximo". Era um falso alarme. Aparentemente programaram "a coisa" para apitar quando ainda está num valor bastante razoável. Mas nós não adivinhamos... e pelo que vemos na televisão, apitos estridentes e ritmados em equipamento hospitalar nunca são bom sinal.

Como estávamos a ouvir música só posso concluir que o meu filho gosta de  Rui Veloso (é assim mesmo rapaz, quando cresceres a mãe dá-te a guitarra) e que isso fez o seu coraçãozinho bater mais depressa.

 

Voltamos para a consulta, primeiro com a enfermeira, depois com o médico.

Com a enfermeira gera-se uma discussão em torno do meu peso, que ah e tal... perdeu peso esta semana. Lá expliquei que não, que dependendo da enfermeira que ali está tiram ou não a "margem" da roupa e que isso faz sempre variações de 1 a 2 quilos o que, numa pessoa que até agora engordou 5,5kg, faz diferença.

Medem a tensão que ah e tal... não tá muito bem, acalme-se lá e toca de medir outra vez (mais do mesmo).

Não medem a barriga e não ligo porque também me parece haver aí uma certa discrepância dependendo de quem mede (e pergunto-me como raio sabem onde terminar a medida, sim, porque onde ela começa sei eu, mas até onde vai... enfim!).

Vou fazer um xixi para o pauzinho e está tudo ok (desta vez sem proteinúria).

 

Depois o "parlapiê" do costume, a amamentação, se já vi a maternidade, se tenho a mala feita (paranóia das malas!!!), se tenho dúvidas, se já fiz a consulta pré-natal com o pediatra e desta vez a Generala introduziu uma novidade no discurso: uma consulta com o anestesista.

 

-Para quê enfermeira?

-Então... para o conhecer, para se familiarizar com o procedimento, é bom...

-Olhe, eu estou familiarizada, já levei uma, não deve ser muito diferente e depois não vou fazer coisas desnecessárias porque já ultrapassei o plafond do seguro e estas brincadeiras saem-me integralmente (e bem) do bolso.

 

Ficou apreensiva e parece-me que foi a primeira vez que ouviu dizer "ultrapassei o plafond". Perguntou-nos se não tínhamos achado útil a do pediatra.

Evidentemente! Mas essa calculávamos que não fosse mesmo comparticipada, pois não faz sentido uma marmanja de 30 anos e 80 quilos ir a uma consulta de pediatria, certo?? Mas uma consulta com o anestesista, a meu ver, é completamente desnecessária... até porque nada me  garante que na hora H o meu novo melhor amigo seja o mesmo que consultei...

 

Lá entrámos para o médico. Cadeira dos horrores, desta vez com direito a horror mesmo. Já tinha ouvido dizer mal dos toques e pronto, agora comprovo que sim, há que dizer mal do procedimento porque dói que se farta.

A comprovar o que o meu instinto de mãe me dizia, as coisas aqui por dentro ainda estão atrasaditas. Não sei explicar mas ouvi algo do género "o colo está subido" (o que também serviu de justificação para a dor inflingida) que em nada me tranquilizou, dado que a tensão arterial continua elevada e temos a sina mais ou menos lida.

 

Terça volto lá, assim estilo penetra (pois não temos consulta marcada), faço outro ctg e mais uma coisa qualquer que basicamente consiste em ficar ali durante um bocado a medir a tensão periodicamente. Se a coisa se mantiver, a sugestão do médico (assim acompanhada de um sorriso que ainda não decidi bem como interpretar) é induzir no dia seguinte.

 

O F viu que ele apontou na agenda para 4ª logo de manhã "Susana-parto".

 

Portanto este fim-de-semana tenho de passear, tirar umas fotografias, abstrair-me da situação e sei lá... não pensar muito.

 

ps-Fátima, os teus beijinhos foram, finalmente, entregues (porque nunca me lembrava do nome das tuas filhotas e da clínica para referenciar, mas desta vez escrevi mesmo ;)

sinto-me: stressada
tags:
gotinhas:
De vanessa kirnicki a 6 de Fevereiro de 2009 às 04:58
Ola amiga...
Olha em relacao ao CTG sempre que fazia tambem apitava que se fartava mas isso e normalissimo. E eu detestava fazer essas porras, uma seca de todo o tamanho e saia sempre de la com uma dor de cabeca enorme...
Em relacao ao toque o que me doeu mesmo foi no dia do parto doeu tanto que ate dei um pontape no medico e so o deixei fazer novamente quando ja tinha a epidural. lol E horrivel...
E agora sobre a inducao, comigo eu so queria que ele nascesse, nao queria mesmo passar das 41 semanas por isso decidi ir pa inducao. Nao e facil, pois o teu corpo pode nao responder. Eu por exemplo cheguei aos 10 cm de dilatacao mas a minha cervix e mto apertada. Mas o medico disse que a culpa nao foi da inducao os meus ossos e que eram msmo assim. Mas vais ver que vai correr tudo bem. Talvez demore mais um tempinho a fazeres a dilatacao mas acredito que vai correr bem.
Vamos ficar por aqui a espera de noticias...
Tou a torcer por voces!!!
Beijinhoos cheios de forca
De Su a 6 de Fevereiro de 2009 às 10:26
Olá!!!
Já tens noticias do Dr. Brown ou a alfândega deitou-lhe a mão?

Bom, aparentemente o meu médico teve mais sorte que o teu, pois não levou nenhum pontapé! Aquilo doeu, mas não foi caso para tanto... lol
De Mar a 6 de Fevereiro de 2009 às 07:36
11 de Fevereiro é um belíssimo dia! 11 do 2 de 2009 tem nível!!! Gosto... manda vir!!! Além disso, se for na quarta-feira, vais passar o fim-de-semana a casa. Só vantagens! Beijinhos.
De Su a 6 de Fevereiro de 2009 às 10:27
Achas? :S
Vem é tudo cair-se cá em casa... estou a considerar não dizer nada a ninguém ou então fugir para um hotel, hahaha
De Ana a 6 de Fevereiro de 2009 às 11:52
Lá está: juntam-se uns dados daqui e dali e quando nos pedem para decidir em certa medida já está decidido... A não ser que uma pessoa se queira arriscar a recusar conselhos.

De toda a gente com quem tenho falado sobre partos (e eu não queria, juro que não queria, mas insistem!), sejam naturais, induzidos, cesarianas antes de depois do tempo, com as sus vantagens e desvantagens, as histórias assemelham-se todas num ponto: é como tem que ser, conforme a mãe, o miúdo, ossos, cabeças, posições e medições em que ninguém manda, se mostram na altura.
Ah! E noutro ponto também são iguais: depois de a criança nascer o parto é só uma história!!

Venha de lá o Edu como tiver que ser! Importante é que venha bem e pronto para tocar guitarra!!!

Beijocas e aproveitem bem o que pode ser o último fim de semana a 2 :) (Que lindo!!)
De Su a 6 de Fevereiro de 2009 às 22:43
"depois de a criança nascer o parto é só uma história!!"
Adorei :))))))

BJ
De sofia a 6 de Fevereiro de 2009 às 16:29
Olá querida mamã, vai correr tudo muito bem, vais ver!Realmente, também acho a reunião com o anestesista desnecessária...mas, enfim, há mães que se sentem mais seguras porque receiam qualquer tipo de anestesia...
Beijinhos e bom fim-de-semana, Sofia,Pedro e Joana
De Su a 6 de Fevereiro de 2009 às 22:46
Qualquer tipo de anestesia? LOL
Vai ser, de certeza, o meu melhor amigo!

Painkillers... may I have some more, please? :)

Comentar post

.Sobre mim

.No messenger

O meu MSN
sufiland@sapo.pt

.pescar nas águas

 

.Novembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.recentemente

. Arreeee!!!!!

. O prometido é devido

. Um novo sonho

. Interregno

. Francisco

. Obrigada...

. Parabéns Filho!!!

. 12 meses em 13 imagens

. Será?

. Está grande...

.águas passadas...

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Junho 2011

. Agosto 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.gostamos muito :)

. Ser mãe pela primeira vez...

. O enxoval (reeditado a 3 ...

.Outras águas

blogs SAPO

.subscrever feeds