Quarta-feira, 27 de Maio de 2009

As vacinas do 3º mês

É uma dor de alma.

Ontem o Eduardo acordou feliz e bem disposto. Distribuíu sorrisos por toda a gente cá de casa (entenda-se pais e avó materna que dorme cá de segunda para terça todas as semanas), fez o seu charme, até deu umas gargalhadas (coisa rara). Metia dó pensar que lhe íamos estragar o dia com a porcaria das vacinas.

 

Lá aperaltámos sua excelência e fizémo-nos à estrada, rumo ao Bairro Alto (nunca mudámos de centro de saúde para não perder o nosso médico que apesar de abrutalhado e stressado, é um excelente médico). Naquelas ruas estreitinhas, salto do carro e agarro a criança enquanto o pai tenta desencantar um lugar, que desta vez foi no piso -5 do Parque do Camões.

 

Nem tivémos de esperar, aliás... dei a nossa vez a outra menina porque assim tive tempo de enfiar um supositório de paracetamol no petiz, para atenuar os efeitos secundários das malfadadas vacinas.

 

Ficou chateado com a vida, com certeza! Ora estava o rapaz em amena cavaqueira com a avó (que encontrámos no posto, pois tinha consulta), ria-se que nem um perdido, quando sente a picada na perna... Ups! Mandou um grito.... daqueles. Sonoro mas breve e continua a brincar, desta vez mais sério.

 

Mas à segunda já não teve uma reacção tão soft. A enfermeira bem nos avisou que custaria mais porque o próprio medicamento é mais doloroso a entrar. Chorou, chorou, com o ar mais sentido do mundo mas desta vez foi mais fácil de o calar que no mês passado. Munidos de termoacumuladores, o pai colocou o "gelo" em cima das picas, enquanto a mãe deu um biberão de chá. Consolou-se e com "colandrejo" e umas quantas melodias trauteadas pela mui afinada voz materno, eis que cai no sono. Bem... toda a gente que por ali passou se meteu com ele. E eu devia transbordar baba por todo o lado...

 

Portou-se que nem um valente!

sinto-me:
Domingo, 24 de Maio de 2009

E hoje está assim:

sinto-me:

Há 3 meses foi assim

 

Eles tiravam fotos, riam, interrogavam-se sobre as parecenças do bébé que acabara de nascer. O F preparava-se para ir ver o filho e esperava trazê-lo para mostrar aos avós. Mas não. Foram os avós ao encontro do neto, pequenino, no seu leito de cristal, sem a mamã, sem a maminha da mamã, sem o calor da mamã. Nenhum bébé deveria ser privado da sua mãe nos primeiros instantes de vida. Nenhuma mãe deveria ser privada do seu bébé logo depois de o parir. Mas foi assim há 3 meses...

sinto-me:

.Sobre mim

.No messenger

O meu MSN
sufiland@sapo.pt

.pescar nas águas

 

.Novembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.recentemente

. As vacinas do 3º mês

. E hoje está assim:

. Há 3 meses foi assim

.águas passadas...

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Junho 2011

. Agosto 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.gostamos muito :)

. Ser mãe pela primeira vez...

. O enxoval (reeditado a 3 ...

.Outras águas

blogs SAPO

.subscrever feeds