Sexta-feira, 3 de Abril de 2009

Das bombas

Quando pesquisei sobre este assunto para escolher a marca e modelo da bomba de extracção de leite, num útil post da Morgy, decidi-me pela Ameda, pois como a Morgy tão bem explica, o tamanho da copa influencia muito no processo de extracção e, ao que parece, é a única marca a disponibilizar copas de diferentes tamanhos.

Já mais recentemente, nos fóruns li tantas boas opiniões sobre a Ameda que ficou decidido. Quando se deu a subida do leite, liguei para a Geofar (a empresa responsável pela comercialização da marca em Portugal) e no mesmo dia vieram trazer-me uma bomba a casa. Impecável... nem tive de sair, nem nada (e como é complicado sair com eles tão pequeninos...).

 

Barata tonta como andava nessa altura, nem me ocorreu perguntar a questão do tamanho das copas. Mas agora sei que não têm os diferentes tamanhos cá em Portugal. O resultado foi que me trouxeram um tamanho que julgo ser o standard, demasiado pequeno para estas melancias com que Deus me brindou.

 

Lá me ajeitei mas não consegui tirar mais de 40ml. Nunca consegui mais que 40...50...30... e quado fui ao pediatra, confirmou-me as minhas suspeitas: era francamente pouco. Em todo o caso, continuei a oferecer a mama, pouco ou muito, sempre era melhor que nada. O suplemento foi a salvação aqui de casa mas o verdadeiro consolo do meu filho reside na mama e não no biberão (felizmente).

 

Quando o Eduardo fez um mês, uma grande amiga minha (a Raquel) emprestou-me a bomba dela, a electrónica de extracção simples da Avent que possui uma "almofada massajadora" na copa e sobre a qual fiz uma descoberta fantástica: tirando a tal "almofada" o tamanho da copa aumentava ligeiramente.

Também é mais potente a nível de sucção (na da Ameda regulamos a velocidade de sucção e a potência do vácuo, mas mesmo no máximo é pouco para mim) e isso proporcionou-me uma extracção mais rápida e mais eficaz. Agora tiro à volta de 60 ou 80ml, mas depois dele mamar.

 

Portanto vou devolver a da Ameda (o aluguer é mensal e termina hoje o primeiro mês) e mais uma vez me sinto a pagar a factura de viver em Portugal... além do valor mensal do aluguer, paguei mais 30 euros por um kit de extracção pessoal (obrigatório por questões higiénicas) que não me parece merecer o valor que custou e que não me serviu de muito. Ainda se fosse do tal tamanho XL... :(

 

Portanto fica o registo: para o próximo filho, já sei como é!

O Pró

E pronto...o meu filho tornou-se um Pró da mama: dá conta dela em 6 minutos (por vezes em 4)!

Em contrapartida fica quase meia-hora de volta de um biberão de 60ml...

sinto-me: com sono
Segunda-feira, 30 de Março de 2009

Sinais de inteligência

Deixa-me furiosa!

Chora desalmadamente à procura da mama e quando lha direcciono para a boca, procura-a freneticamente. Quando dá com ela, em vez de mamar, entretém-se às lambidelas e pouco suga. Depois chora desalmadamente com fome à procura do que tem na boca...

 

...quer o biberão :(

Seja com leite meu ou com leite da lata, interessa é que chegue lá rápido, àquele buraco negro que tem no sítio do estômago.

 

Quanto mais não seja, representa alguma inteligência da parte do moço: já percebeu que o bibas é "alimento fácil"...

sinto-me:
Sexta-feira, 20 de Março de 2009

Na urgência

Já se estava a adivinhar... acabei por ter de ir à urgência porque comecei a sentir-me tão mal, mas tão mal...

 

Quase não tinha febre, tinha 37,5º mas isso para mim é como estar com os pés para a cova: nunca faço mais de 38º. Doía-me tudo, sobretudo a cabeça, custava-me a respirar com o nariz entupido e cheio de secreções amarelinhas e a garganta arranhava-me: uma chatice.

 

Por sorte, vá-se lá saber porquê, tinha convencido a minha mãe a dormir cá em casa: devia estar a adivinhar. Foi a sorte... ficou-me com o besnico (que deu uma excelente noite, isto do leite da mamã é maravilhoso) e às 5 e meia lá fomos aos Lusíadas, comigo a tremer por todos os lados.

Detestei a médica. É o que dá termos bons médicos, quando apanhamos os da urgência raramente nos agradam. Uma conversa parva, que não percebia porque é que eu estava a tomar brufen para as dores, ao que expliquei que era por causa da costura e, nos últimos dias, por causa de dores de cabeça terríveis.

 

"Ah e tal... já passou quase um mês, isso ainda dói?"

 

Lá andou com o estetoscópio e disse-me que tinha não sei o quê nos brônquios, mas que só podia tratar com antibiótico e que isso iria passar para o bébé através do leite. Fiquei de rastos... logo agora??

Entretanto pede-me para ver a barriga e diz "mas explique-me lá porque é que está a tomar brufen se não tem nada que se veja na barriga"

 

DUH!

 

(Será que ela sabe como é que saem os meninos??)

 

Passou-me uma receita e mandou-me ligar ao pediatra para saber como era. Voltámos para casa, mesmo a tempo de dar maminha ao miúdo :) Mas vim danada!

 

Quando o relógio acusou horas decentes, liguei ao Nuneca que me disse:

"Sabe... infelizmente muitos colegas meus ainda pensam que amamentar é uma doença"

 

Posso tomar o antibiótico, tomar o brufen, dar mama e a única recomendação é que use uma máscara. Bom... haviam de ver a cara dele a olhar para mim quando lhe pus a mama na boca já de máscara na cara. Olhou-me uma vez nos olhos e desviou o olhar para um ponto fixo no horizonte, ahahaha

 

Tadinho do meu besnico :)

sinto-me: mais tranquila

E eis que se dá um Milagre!

Até tenho medo de dizer, não vá o rapaz entretanto trocar-me as voltas, mas sabem?

 

Há dois dias que está exclusivamente a mama ;)

sinto-me: muito, muito feliz
Sexta-feira, 13 de Março de 2009

Constatações

Muito brevemente esta imagem poderá não passar de uma simples fotografia, ficando a realidade como mera recordação:

 

Eu gosto genuinamente de amamentar. Desde que passaram as gretas dos mamilos, tornou-se um prazer. Ver os olhinhos dele a olhar para mim, a respirar ofegante porque sabe que a mama está ali, a mostrar impaciência como quem diz "óh mãe, despacha-te" é algo de indescritível.

 

Nunca tive muito leite. Mesmo assim dou tudo o que tenho. E faço tudo. Massagens, Promil, depois dele mamar tiro os restos com a bomba... mas não adianta muito. Não abunda e pronto.

 

Cada dia é uma vitória. Pequenina. Mas não há outro modo de viver este período a não ser de pequenas vitórias, quando o corpo nos trai- engana-se quem pensa que peito grande é sinónimo de muito leite.

 

Não há nada a fazer a não ser resignarmo-nos, mãe e filho, de que não durará muito mais tempo...

 

Se nos serve de consolo, ao menos já ninguém nos tira estes 18 dias...

sinto-me: devastada
Quinta-feira, 12 de Março de 2009

Quando o filho chora

Quem usa Swatch, sabe que uma vez mortos, mortos para sempre. E foi isso que aconteceu ao meu belíssimo skin oferecido pela minha mãe há um bom par de anos.

 

Tivesse eu relógio, e podia acertá-lo pelo choro do meu filho, que isto da larica tem horas certas!

 

Gosto deste e deste. Faço anos em Janeiro

Segunda-feira, 9 de Março de 2009

Pequenas vitórias

Já consegui reduzir o suplemento de 60ml para 30ml :)

 

O meu filho também estabilizou as horas da paparoca: come de 3 em 3 horas, quase certinhas... :)

 

Seguindo o conselho da Morgy e visto que o meu médico não apoiou mas também não colocou objecções, comprei uma caixa de Promil e já estou a tomar. Aguardo resutados... (quanto mais não seja um pequeno efeito de placebo). Como estabilizámos mais aqui em casa, sinto-me um pouco melhor e isso reflecte-se na alimentação. Ainda como muito pouco, mas já consigo engolir alguma coisa...

 

Pela primeira vez desde que vim para casa, ontem não chorei.

 

Aos poucos vamos lá e bem dizia a Drª. F: "se sobreviverem as duas primeiras semanas, sobrevivem a tudo..."

 

As duas primeiras já passaram!!! :)

sinto-me: com esperança
Quinta-feira, 5 de Março de 2009

Não estou nada bem...

Hoje sinto-me mesmo mal. Fisicamente e psicologicamente.

Já não tenho qualquer dúvida de que estou com uma brutal depressão. Só crises de choro, quase não como (não me ralhem, porque não passa mesmo tal é o nó na garganta e no estômago), durmo pouquíssimo, o que não é de surpreender, mas mesmo quando posso dormir, tenho dificuldade.

 

Fisicamente, hoje tenho mais dores. Ao 10º dia, seguimos as instruções do Dr. e o F cortou o remate dos pontos. A linha que ficou de fora já desapareceu e se tudo correr bem, o organismo absorve a costura toda. Mas continuo com muita hemorragia e umas dores internas horríveis, como se estivesse nos primeiros dias da menstruação há muitos anos, quando era teenager e antes de tomar a pílula, milagrosa, que me aliviou o sofrimento mensal.

Tenho medo que alguma coisa não esteja bem, mas o meu espírito diz-me que está, que tudo isto é normal na recuperação de um parto.

 

Fomos ao hospital, mais uma vez, tentar pagar a conta do parto e carimbar uma receita que trouxémos ontem e nos esquecemos que era necessário mostrar na recepção. Também levámos as fotos que a enfermeira Generala pediu. Ficou muito feliz. Gosto muito do carinho que aqueles profissionais de saúde nutrem pelos utentes do hospital e fazem-me sentir mesmo bem. Devíamos mesmo permanecer lá mais uns dias após o parto e talvez tudo fosse mais fácil...

 

...e agora vou ali, que o meu besnico está a gemer, o que significa que o relógio do estômago começou a latejar em forma de mamoca.

sinto-me: Deprimida. Muito. Muito.
Quarta-feira, 4 de Março de 2009

A primeira consulta no pediatra

Tecnicamente não foi a primeira consulta. Na sexta passada fomos ao hospital, a pedido da maternidade, pois parece que é costume fazer uma consulta de neonatologia logo após a alta. Essa avaliação foi feita pela Drª F, que recebeu o Eduardo na sala de partos.

Além de uma avaliação global, fizeram-lhe o rastreio das doenças metabólicas (teste do pézinho) e aí percebemos que mesmo com os problemas que tenho tido em amamentar, o besnico perdeu poquíssimo peso. A perda dele situou-se nos 1,9% quando a média ronda os 8%. Tranquilizou-nos e disse-nos que estamos a fazer tudo bem.

 

Mas não há muito que possam fazer por mim neste momento, no que respeita a tranquilidade. Estou muito triste por não ter leite suficiente, aliás... por não ter leite quase nenhum. E isso tem-me deixado de rastos (ou se calhar é o pretexto para as crises de choro).

 

Portanto hoje, apesar de ser a segunda consulta, foi a primeira com o Nuneca, o nosso pediatra (hehe, gosto de alcunhar as pessoas).

Lá chegámos aos Lusíadas, mesmo em cima da hora (que isto agora sair de casa implica uma logística bem organizada para a qual ainda não estamos mecanizados), o que na verdade não constituiu problema, pois a consulta estava atrasada cerca de uma hora. Passei-me logo, não pela minha espera, mas por me sentir sem chão debaixo dos pés, pois iria calhar em cima da hora que o besnico ía reclamar a sua paparoca. Se tivesse mama de jeito era tão mais facil...

Chorou desalmadamente e ali mesmo, à descarada, enfiei-lhe a mama na boca. Lá se arranjou e serviu para acalmar os ânimos.

Quando nos chamaram, o Nuneca recebeu-nos com o largo sorriso que o caracteriza. Adoro-o!

Assim que entro no consultório, começo a chorar. O médico foi de uma delicadeza incrível e no meio de brincadeira, sem no entanto me fazer sentir ridícula, conseguiu amenizar a questão. Mas permaneci de lágrima pendurada até meio da consulta.

 

Falámos das principais questões que me atormentam a alma: a alimentação e o choro.

 

Da alimentação dele, confirmou-me o que eu suspeitava: se o leite não "subiu" mais que isto, não vai subir. Disse-lhe quanto consigo tirar com a bomba (entre 25ml a 45ml) e assim com um ar carinhoso disse-me "é pouco". Continuamos com o suplemento, portanto, que assume as funções de leite principal e a minha mama sim, passa a suplemento, que darei sempre antes do biberão, enquanto tiver uma gota que seja. Pelo menos leva alguma coisa minha que ajudará nas defesas naturais. Mas sinto-me devastada e quando o assunto me vem à ideia, desato logo a chorar.

 

Do choro, disse que é normalíssimo que ele berre desalmadamente quando lhe trocamos a fralda ou quando toma banho, pois ainda não regulam bem a temperatura do corpo e têm muito frio quando estão despidos.

 

-Cordão umbilical, quase todo mumificado, deverá cair em breve;

-Reflexos ok;

-Peso, já ganhou cerca de 300 gramas desde 6ª feira;

-BCG, já começou a aparecer a marca no bracito esquerdo;

-Pele: ok. São como as cobrinhas, mudam a primeira camada de pele e ficam com aquele aspecto esquisito (sobretudo nos bébés de 40 semanas ou mais);

-Aparentemente está tudo normalíssimo, estamos a fazer tudo bem, continuemos assim.

 

Daqui por 15 dias voltamos lá!

 

Do que não me conformo... é mesmo do meu leitinho :((((

 

sinto-me: aliviada mas triste

.Sobre mim

.No messenger

O meu MSN
sufiland@sapo.pt

.pescar nas águas

 

.Novembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.recentemente

. Das bombas

. O Pró

. Sinais de inteligência

. Na urgência

. E eis que se dá um Milagr...

. Constatações

. Quando o filho chora

. Pequenas vitórias

. Não estou nada bem...

. A primeira consulta no pe...

.águas passadas...

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Junho 2011

. Agosto 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.gostamos muito :)

. Ser mãe pela primeira vez...

. O enxoval (reeditado a 3 ...

.Outras águas

blogs SAPO

.subscrever feeds